* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Sálvia

Sálvia
Nome Popular: Sálvia

Outros nomes: salva, salva-das-boticas, salva-dos-jardins, salva-ordinária, salveta, erva-santa, salva-menor, chá-da-europa, chá-da-frança, chá-da-grécia, grande-salva, sábia, salva, salva-da-catalunha, salva-das-farmácias, salva-mansa, salva-das-farmácias, salvi, salva-mansa, salva-verdadeira, salva-da-catalunha.

Nome Científico: Salvia officinalis L.

Família: Lamiaceae.

Nomes Botânicos: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nome Farmacêutico: Folium Salviae.

Partes Usadas: folhas, sumidades recém floridas e O.E.

Sabor: amargo, picante, adstringente e refrescante.

Constituintes Químicos: óleo essencial (1,2 a 2,5%): contendo pineno, salveno, cineol, salviol, um princípio amargo (picrosalvina), tanino (2 a 8%), mucilagens, resinas (5 a 6%). Óleo essencial: 1,8-cineol, cânfora, borneol, a-tujona e outros terpenos, ácido ursólico, taninos, flavonóides, saponina, esteróis, ácido rosmarínico, cariofileno, a-humuleno, a e b-pineno.

Propriedades Medicinais: digestivo; carminativo; anti-sudorífico; anti-séptico bucal; resolutivo; sedativo; antiinflamatório; colagogo; antiespasmódico; anticaspa; antiperspirante; antioxidante; anti-reumático; balsâmica; cicatrizante das mucosas; desodorante; diaforético; emenagogo; eupéptico; germicida; hipoglicemiante; tônico; estimulante; anti-diarréico; antialérgico.

Indicações (Uso Interno): protetora do coração; catarro, bronquite; diabetes, diarréia, estomatite; fixador na confecção de perfumes; problemas gastrointestinais; reumatismo; vômito; tosse; rinites; sinusites; eleva imunidade, TPM; menopausa; melhora o trabalho de parto; asma; melhora o nível hormonal feminino; resfriado; angina; amigdalite; enxaqueca; icterícia; piorréia; dores ovarianas; depressão; tremores; vertigem; impotência sexual; albuminúria; elimina excesso de ácido úrico; descalcificação óssea; dismenorréia; artroses em geral; hipoestrogenismo; tuberculose; reduz o crescimento de placas bacterianas; insônia, psicoses; diminuição da memória; ansiedade; Mal de Parkinson; amnésia senil; atenua déficit funcional cerebral em idosos; melhora o sentimento de luto; sudorese noturna; previne apoplexia; doenças da medula e das glândulas; tremores e paralisias dos membros; fogachos; herpes; psoríase; glossite; colecistite; suor excessivo; cefaléia; inflamações intestinais; gases; má digestãoprotetora do coração; catarro, bronquite; diabetes, diarréia, estomatite; fixador na confecção de perfumes; problemas gastrointestinais; reumatismo; vômito; tosse; rinites; sinusites; eleva imunidade, TPM; menopausa; melhora o trabalho de parto; asma; melhora o nível hormonal feminino; resfriado; angina; amigdalite; enxaqueca; icterícia; piorréia; dores ovarianas; depressão; tremores; vertigem; impotência sexual; albuminúria; elimina excesso de ácido úrico; descalcificação óssea; dismenorréia; artroses em geral; hipoestrogenismo; tuberculose; reduz o crescimento de placas bacterianas; insônia, psicoses; diminuição da memória; ansiedade; Mal de Parkinson; amnésia senil; atenua déficit funcional cerebral em idosos; melhora o sentimento de luto; sudorese noturna; previne apoplexia; doenças da medula e das glândulas; tremores e paralisias dos membros; fogachos; herpes; psoríase; glossite; colecistite; suor excessivo; cefaléia; inflamações intestinais; gases; má digestão; tonificante do sistema nervoso; ajuda a reduzir a dose de medicamento na diabete (com supervisão médica); afecções digestivas.

Indicações (Uso Externo): aftas; fecha poros dilatados; gengivite; redução da oleosidade do cabelo; auxiliar no tratamento de rugas; picadas de insetos; caspa; piorréia; inflamações do couro cabeludo.

Indicações Pediátricas: as mesmas indicações que para adultos.

Utilizações na MTC: elimina fleuma-umidade do Baço; elimina umidade e mucosidades do Jiao inferior; para vazio do Qi; vazio do Jing do Rim; vazio do sangue do Útero; estagnação do Qi dos Intestinos, do Rim e do Útero; remove vento do Fígado; vazio do Yin do Rim com descalcificação óssea; fortalece o Qi do Pulmão; harmoniza o Shen e o Coração; tonifica o sangue. Erva que metaboliza as umidade, mucosidades e elimina estagnações.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 5 – Ervas para reduzir umidade do corpo ● Categoria 12 – Ervas que regulam o sangue.

Elemento predominante na MTC: Metal.

Atuação nos Canais: BP, F, R, P, C, VC e VG.

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz Vata e Kapha e agrava Pitta. Suavemente seca e leve.

Rasa: picante, amargo e adstringente.

Virya: quente.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: SALVIA OFFICINALIS – o óleo é produzido na Espanha, Iugoslávia e França por destilação das folhas e florações. Tem fragrância acre, aromática e a planta é considerada uma das mais versáteis e eficazes. Atua sobre o fígado, vesícula biliar e rins. Tem propriedade medicinal tônica, estimulante (glândulas adrenocorticais e nervos), anti-sudorífico, anti-séptico, diurético, emenagogo, hipertensor, aperitivo, estomáquico, depurativo, adstringente e vulnerário. Indicado para casos de fraqueza, anemia, astenia e neurastenia, hipotensão, esterilidade, menopausa, regulagem da menstruação, preparação para o parto, perspiração, febre, disfunções hepatobiliares e renais, problemas dos nervos, bronquite, asma, úlceras na boca, estomatite, amigdalite, dermatite, queda de cabelo, lesões e úlceras. Não deve ser feito uso interno durante muito tempo. Não deve ser recomendado a pessoas com epilepsia. SALVIA SCLAREA – o óleo essencial é extraído a partir das florações e folhas por destilação a vapor. Também é feita extração com solvente que produz pequenas quantidades de absoluto. Este óleo é de intensidade média e nota intermediária para alta. Tem boa sinergia com Bergamota, Cipreste, Olíbano, Gerânio, Grapefruit, Junípero (Zimbro), Jasmim, Lavanda e Sândalo. Têm propriedades antidepressivas, antiespasmódicas, carminativas, emenagogas, hipotensivas, nervinas, sedativas, estomáquicas, tonificantes e uterinas. O óleo beneficia os sistemas circulatório, muscular, articular, respiratório, digestivo, geniturinário, endócrino e nervoso. Empregado para problemas de cabelo e de pele. Não deve ser usado em gestantes e pessoas que tenham ingerido álcool. Tem efeito “eufórico” e alivia inflamações, aquece e relaxa.

Floral:FLORAIS DE MINAS - dificuldades de compreensão e aprendizado; tendência a repetir erros na vida.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: na gravidez; na lactação; em portadores de epilepsia; pode causar olhos e boca seca; evitar em pessoas que estejam tomando medicamento para o coração; pessoas com irritabilidade acentuada; pessoas com grande excitabilidade nervosa. Em doses elevadas pode ser tóxica e causar agitação, alucinação e convulsões. Uso crônico pode causar danos cerebrais. Não deve ser usada em pessoas com insuficiência renal. Pode causar súbita elevação da pressão arterial.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Cultivo:

Planeta regente: Regente – Júpiter.

Indicações energéticas ou mágicas: é usada fisicamente para defumar e purificar ambientes. Utilizada em amuletos de cura, amuletos e saches utilizados para trazer prosperidade. Se for queimada em um altar ou local sagrado consagra a área. Queimada em casa remove as impurezas e afasta o Mal, providenciando proteção. Associada a Quíron - deus da sabedoria e ao conhecimento do Oráculo de Delfos, acredita-se que esta erva confere as propriedades mágicas da purificação espiritual, proteção, sabedoria e magia animal.

Habitat: é uma planta originária do Sul da Europa. É muito difundida no Mediterrâneo, África e Américas Central e do Sul.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: são plantas herbáceas ou arbustivas com folhas opostas cruzadas, inteiras. As flores são pequenas ou grandes, na maioria vistosas, reunidas em densas inflorescências, quase sempre axilares. As flores são diclamídeas, hermafroditas, pentâmeras, fortemente zigomorfas e bilabiadas. O androceu é formado por dois ou quatro estames e as flores que possuem dois estames, apresentam dois estaminódios. O ovário, na família, é súpero, envolto num disco glandular unilateralmente expandido e saliente; este ovário é também bicarpelar, bilocular, com dois óvulos por lóculo e falsamente tetralocular por invaginação dos carpelos; seu estilete é ginobásico. O fruto é seco constituído por quatro núculas. As sementes raramente possuem endosperma e quando este aparece, é escasso e o embrião é reto. Desenvolve-se bem em regiões de clima ameno como o sul do Brasil e quando cultivada em locais que recebam luz solar e cujo clima seja quente, sem excesso de calor. Em climas tropicais só se conserva viva em vasos, protegidos do excesso de radiação solar. Prefere solos de terrenos bem drenados, permeáveis, argilo-arenoso, leves, ricos em matéria orgânica e nutriente, com bom suprimento inicial e periódico de nitrogênio e com uma boa exposição à luz solar, podendo sofrer em terrenos úmido. O gênero Salvia possui cerca de 800 espécies de ampla dispersão, principalmente no Mediterrâneo e Oriente, e nas regiões montanhosas subtropicais.

Toxicidade: embora o óleo essencial contenha o composto tujona este não possui reputação tóxica. Foi observado não ser irritante ou sensibilizante na aplicação tópica em concentrações diluídas à pele humana.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - consultor em fitoterapia, professor e criador do ERVANARIUM • http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira

Observações: o gênero Salvia possui cerca de 800 espécies de ampla dispersão, principalmente no Mediterrâneo e Oriente, e nas regiões montanhosas subtropicais. É ativa contra bactéria Gram-positivas e negativas. O óleo essencial da planta apresenta atividade contra Bacillus subtilus, Micrococcus luteus, Escherischia coli e Serratia marcescens. As cinzas da planta ajudam a clarear os dentes. Muito utilizada como tempero de carnes, peixes, pães, patês de queijo e molhos e para aromatizar vinagres. Utilizada ainda como insetífuga doméstica. O óleo essencial pode ser usado como ingrediente de cosméticos, desinfetantes e higienizadores bucais. As flores são melíferas.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • www.ibb.unesp.br/.../teses/botanica_me_2007_daniela_zigiotto.pdf •Apostila de Fitoterapia Chinesa - Prof. Antonio de Bortolli - Delta Educação • Fórmulas Mágicas - Dr. Alex Botsaris - Ed. Nova Era • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - EPUB • Plantas que curam - Enio Emmanuel Sanguinetti - Editora Rigel • Saúde por meio da farmácia de Deus - Maria Treben - Ed. Pensamento • Medicina ayurvédica para a mulher - Atreya - Ed. Pensamento • Sage - the genus salvia - Edited by Spiridon E. Kintzios - Hardwood Academy Publishers • Florais de Minas - Catálogo • Practical Handbook of Plant Alchemy - Manfred M. Junius • Guia completo de Aromaterapia - Joanna Hoare - Pensamento • Aromaterapia - a cura pelos óleos essenciais - Marcel Lavabre - Ed. Nova Era • A astrologia da Mãe-Terra - Márcia Starck - Pensamento • The Big Herbal Encyclopedia - Anônimo - PDF • CD Rom - Ervas Medicinais - Volume 1 - Anônimo • Vademecum de Fitoterapia - Pedro del Rio Pérez • 100 Plantas para viver até os 100 anos - Anônimo - PDF • The Green Wiccan Herbal - Silja - Cico Books •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium