* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Alcachofra

Alcachofra
Nome Popular: Alcachofra

Outros nomes: cachofra, alcachofra-hortense, alcachofra comum, alcachofra cultivada, alcachofra de comer, alcachofra rosa, artischocke (alemão), alcachofa (espanhol), artichaut (francês), artichoke (inglês), carciofo (italiano).

Nome Científico: Cynara scolymus L.

Família: Asteraceae.

Nomes Botânicos: Cynara cardunculus var. scolymus (L.) FioriL.

Nome Farmacêutico: Folium cynarae

Partes Usadas: folhas, brácteas e raiz.

Sabor: Amargo, picante, amornante.

Constituintes Químicos: cinarina (ácidos 1,5-dicafeilquínico de 0,02 a 0,03%), sais minerais (fósforo, ferro, potássio, cloro, cálcio, enxofre, sódio, magnésio e silício- 12-15%), ácido clorogênico, ácido caféico, mucilagem, pectina, tanino, ácidos orgânicos: málico, glicérico e glicólico, glicosídeo A e glicosídeo B, componentes flavônicos glicosilados (cinarosídeo, scolimosídeo, cosmosídeo), cinaropicrina (amargo), enzimas (cinarase, oxidase, ascorbinase, catalase, peroxidase), vitaminas (pró-vitamina A, B1, B2, C).

Propriedades Medicinais: anti-esclerótico; antitóxico; colagogo; depurativo; digestivo; diurético; hepático; hipotensor; laxante; colerético; febrífugo; anti-reumático; hipoglicemiante; antiuréico; anticolesterogênico; anti-diarréico; antialcoólico; antiesclerótico; antibiótico; carminativo.

Indicações (Uso Interno): afecções hepatobiliares; anemia; anúria; diabete; bócio exoftálmico; cálculos renais; clorose; convalescença; diabete melito; diarréia; dispepsia; diurese; doenças cardíacas; eczema; emagrecimento; escorbuto; escrofulose; gota; hemofilia; hemorróidas; hidropsia; hipertensão; hipertireoidismo; icterícia; inflamações internas; má-digestão; má formação do sangue; malária; obesidade; pneumonia; age nos pulmões; raquitismo; sífilis; tosse; toxemia; uremia; uretrite; tratamento das vias biliares, hepáticas e renais; regulariza o aparelho digestivo e os movimentos peristálticos; para aparecimento de proteína na urina; para intolerância a gorduras e síndrome pós-hepatite; sensação de plenitude, perda de apetite; náusea; dor abdominal; hipertensão; doenças de pele; asma; gota; icterícia; inflamação da vesícula biliar; celulite; esterilidade; psoríase; congestão cerebral; infarto; angina do peito; elimina ácido úrico.

Indicações (Uso Externo): não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações Pediátricas: não há relatos na literatura consultada.

Utilizações na MTC: nutre o Yin do Fígado e o Xue; para deficiência do Xue e estagnação da energia do Fígado. Tonifica o Yang do Baço. Elimina umidade.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 9 – Ervas para promover a digestão ● Categoria 12 – Ervas que regulam o sangue ● Categoria 16 – Ervas que corrigem deficiências.

Elemento predominante na MTC: Madeira

Atuação nos Canais: F, VB, BP e B

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz pitta e kapha e aumenta vata.

Rasa: picante e amargo.

Virya: quente.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Floral:FLORAIS DE SAINT GERMAIN - efetua grandes transformações na consciência. Um dos aspectos que trabalha, diz respeito ao sentimento de vergonha de um modo geral. Floral útil aos que desenvolvem ou têm que desenvolver um trabalho espiritual elevado e tem vergonha de expor sua própria luz e conhecimento a grupos ou às pessoas em geral. Outro aspecto que este floral vem trabalhar está ligado a certo tipo de medo que surge nas situações em que a pessoa só pode contar consigo própria, sente-se insegura, apreensiva e medrosa. A energia deste floral pela expansão da consciência resulta no distensionamento do corpo físico e traz leveza aos chakras superiores; atua em partes desenergizadas na região do cérebro e do terceiro olho. Floral que nos doa força para percebemos as posturas arraigadas que nos prendem ao passado. Abre-nos para o novo e para o novo tempo que surge. Alcachofra é um floral muito útil às pessoas que querem se atualizar ou precisam se atualizar traz abertura e receptividade. Este floral vem remover toxinas e resíduos muito antigos em todos os chakras, é regenerador dos corpos sutis. No físico se apresenta como muco. Refaz ligações energéticas em nossos corpos. É um grande regenerador de todos os corpos, trabalha o envelhecimento precoce devido vampirismo. FLORAIS DAS PLÊIADES - depurativo contra o pânico causado por medos de vidas passadas; pesadelos e cenas recorrentes; sustos e apreensões de causas inexplicáveis; sudorese.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: na lactação, pois coagula o leite; em casos de fermentação intestinal. Não deve ser usada por pessoas com cálculos biliares. Evitar na gestação.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Cultivo:

Planeta regente: Regente - Marte.

Indicações energéticas ou mágicas: Atrai o amor, a beleza, a limpeza e resgata a alegria. Utilizada em banhos e na culinária.

Habitat: Mediterrâneo.

Informações clínicas e/ou científicas: estudos clínicos demonstraram a eficácia e segurança do uso de extratos de alcachofra no tratamento de disfunções hepatobiliares e problemas digestivos, tais como a sensação de plenitude, perda de apetite, náusea e dor abdominal.

Descrição botânica: É uma planta vivaz, com folhas compostas penatífidas e espinhosas, sendo as superiores bem menores que as da base. Flores púrpuras reunidas em um grande capítulo envolvido por grandes brácteas que são a parte comestível da inflorescência. Provavelmente originária do mediterrâneo, considerada durante muito tempo como uma hortaliça rara, é hoje abundantemente cultivada nas regiões Atlânticas com invernos suaves. É uma planta com até um metro de altura, da família das compostas, de caules estriados, folhas penatífidas e grandes capítulos florais.

Toxicidade: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - Fitoterapeuta e Professor, criador do ERVANARIUM: http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira. LUCIANA OLIVEIRA - Bióloga formada pela UFRGS, Artista Floral e Fitoterapeuta formada pelo ERVANARIUM: http://www.ervanarium.com.br/profissional/11/luciana-oliveira.

Observações: Esta planta pode ser tomada por períodos prolongados. Em decocção o chá deve ser consumido logo após o cozimento, pois se altera rapidamente produz toxinas. Planta rica em ferro e cálcio que ajuda a repor minerais no organismo.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://www.florais.com.br/si/site/1111?idioma=portugues • http://samantha-tarologa.blogspot.com/2009/04/ervas-aromaticas.html • http://fitomedicinapopular.blogspot.com/search/label/Alcachofra%20-%20Cynara%20scolymus%20L. • http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080617060645AA9t53j • http://www.anniesremedy.com/herb_detail361.php • Apostila de Fitoterapia Chinesa 2 – Prof. Antonio de Bortolli - Delta Educação • Fórmulas Mágicas - Dr. Alex Botsaris - Ed. Nova Era • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - Ed. EPUB • Ervas, plantas & chás - prevenção e cura de doenças - Ed. Escala • A vida cura a vida - Pe. Paulo Wendling – Paulinas • Guia Prático para Auto-cura - Tonusterapia. A cura pelas plantas - Munir Sabá - Editora Traço • Plantas que curam - Enio Emanuel Sanguinetti - Ed. Rigel • 100 Plantas para viver até os 100 anos - Anônimo - PDF •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium