* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Hipérico

Hipérico
Nome Popular: Hipérico

Outros nomes: hipericão, hipericão-vulgar, mal-furada, pelicão, flor-de-são-joão, milfurada, erva-de-são-joão, ibitipoca, hipérico-verdadeiro, tüpfel-johanniskraut (alemão), millepertuis (francês), St. Johns wort, amber, goat-weed, johnswort, klamath weed e tipton weed (inglês), iperico (italiano), hyperici (latim).

Nome Científico: Hypericum perforatum L.

Família: Hypericaceae

Nomes Botânicos: Hypericum nachitschevanicum Grossh., Hypericum perforatum var. confertiflora Debeaux, Hypericum perforatum var. microphyllum H. Lév.

Nome Farmacêutico: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Partes Usadas: flores, folhas e O.E

Sabor: amargo e refrescante.

Constituintes Químicos: ácido shikímico, biflavonas, catequinas, carotenos, derivados floroglucinólicos, fitosterois (beta–sitosterol), flavonóides (hiperosídeo, quercitina, rutina, quercetrina), glicosídeos (hipericina, corante vermelho), hiperforina, pectinas, a-pineno, princípios amargos, procianidinas, pseudohipericina, resinas, saponina, taninos, terpineol, vitamina C e P.

Propriedades Medicinais: adstringente; antidepressivo; antidiarréico; antiespasmódico; antiinflamatório; anti-irritante; antimicrobiano; anti-seborréico; anti-séptico; aromático; calmante; cicatrizante; digestivo; diurético suave; hipotensor; restaurador; sedativo; vulnerário; vermífugo; ansiolítico; colagogo; expectorante; tranqüilizante; vitamínico P; antiencefalalgico; lactagogo; antisoporífico; carminativo; balsâmico; tonificante; colerético.

Indicações (Uso Interno): acidez estomacal; afecções pulmonares; afecções das vias urinárias; depressão; diarréias crônicas; doenças pulmonares; enurese noturna; gota; hemorróidas; insuficiência hepática; enurese infantil; insônia; má digestão; mau funcionamento do fígado e dos rins; nervosismo; ulcerações internas; vermes intestinais; disritmia; epigastralgia; afecções ginecológicas; TPM, menopausa; fibrosites; neuralgia; convulsões; inflamações crônicas de estômago, fígado, rins e vesícula; herpes; hidrocefalia; gripe; icterícia; tumores; varizes; histeria; terror noturno; alterações neurovegetativas associadas ao climatério; espasmos digestivos; disquinesias biliares; ansiedade; estresse; cólicas menstruais; epistaxe; infecções uterinas; bronquite; dores de cabeça; Aids.

Indicações (Uso Externo): acne; feridas; caspa; queimaduras de primeiro grau; reumatismo; seborréia; cobreiro; ciática; chagas; varizes; feridas que envolvem danos nos nervos; hemorróidas; dores musculares causadas por contusões e excesso de atividade física; dores nas costas; parasitas cutâneos.

Indicações Pediátricas: as mesmas indicações para adultos e também para enurese noturna.

Utilizações na MTC: clareia o espírito, promove a circulação do Qi do Fígado por todo o corpo de forma suave; tonifica o pulmão; remove estagnação do Qi do Fígado.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 11 – Ervas para regular o Qi • Categoria 14 – Ervas para reduzir a ansiedade.

Elemento predominante na MTC: Madeira.

Atuação nos Canais: F, BP, R, E e P.

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz Kapha e Pitta e agrava Vata (em excesso).

Rasa: amargo.

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: óleo essencial é indicado para queimaduras.

Floral:ESSÊNCIAS VIBRACIONAIS – Erva de São João ou Hipericão - ajuda quando nos expandimos demasiado (o que pode suceder a diferentes níveis, inclusive espiritual), a focalizar de novo a energia, tornando-nos menos vulneráveis e dando-nos orientação. Sela a aura, protege e afasta os medos inconscientes e sonhos inquietantes. Dá confiança para saber que tudo está bem e nos sentirmos protegidos pela luz. Ligado ao chackra da coroa e ao sol. Utilizar em caso de alergias, stress ambiental e síndrome sazonal afetivo. Neste caso é aconselhável procurar receber pelo menos 30 min. diários de luz solar para estimular a glândula pituitária. Ainda para crianças com enurese noturna e medo do escuro e para os que sonham muito acordados.

Homeopatia: é um medicamento homeopático utilizado para dores e nervos danificados, depressão nervosa, do trismo e tétano (por ferimentos da palma ou planta do pé) de forma interna e externa. Também para nevralgias pós-operatórias, nevrite, coccydinia, hemorróidas comuns e das feridas laceradas. Seu uso externo se dá em feridas por pregos ou lascas por marteladas, por espinhos e corpos estranhos penetrantes. Feridas por armas de fogo, panarício, nevrite traumática, úlceras gangrenosas e sépticas, feridas dilaceradas e nevralgias traumáticas. Aplica loções mornas com 5% de T.M. FERIDAS – 15 gotas de Hypericum D3 antes de todas as refeições. LUMBAGO – 15 gotas de Hypericum D3 antes das refeições de 6 em 6 horas.

Contra-indicações: risco de interação com outras drogas; possibilidade de queixas gastrointestinais; náusea; coceira; fadiga; distúrbio do sono e dor de cabeça; pode promover fotosensibilidade com inflamação da pele e das membranas mucosas após exposição à luz, apesar de que esses efeitos adversos sejam raros. Deve ser evitada durante gestação e lactação. Evitar uso em pessoas com depressão crônica ou com diabete.

Interações medicamentosas: tem boa sinergia com Hamamelis virginiana e Calêndula officinalis para tratamento de contusões. Incompatível com alimentos e medicamentos que contenham tiramina. Evitar em pessoas que estejam tomando coquetel anti-HIV. Os mecanismos de muitas interações medicamentosas do hipérico com outras drogas envolvem um aumento do metabolismo intestinal (citocromo P450 [CYP] 3A4) e o metabolismo hepático (CYP 1A2, 2C9 e 3A4) e/ou um aumento da ativação da efluência da p-glicoproteína intestinal de uma forma clinicamente relevante. Os mecanismos para outras interações com o hipérico permanecem desconhecidos. Drogas com uma escala terapêutica estreita devem ser cuidadosamente monitoradas quando o hipérico for adicionado ou interrompido, ou se houver mudança na dosagem. Existe interação de H. perforatum com ciclosporina, anticoagulantes cumarínicos, anticoncepcionais orais, teofilina, digoxina, indinavir e possivelmente outros inibidores da protease e transcriptase reversa, prejudicando os efeitos destes. Isto ocorre devido à indução pelo H. perforatum da via metabólica envolvendo o citocromo P450. A utilização de H. perforatum concomitante a antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina e inibidores da MAO poderá causar síndrome serotoninérgica. Não é recomendado utilizar H. perforatum com drogas fotossensibilizantes como clorpromazina ou tetraciclina. O extrato de H. perforatum não demonstrou interação com o álcool em estudos farmacológicos, porém sabe-se que o álcool pode piorar o quadro depressivo.

Uso Veterinário: se consumido pode causar envenenamento no gado.

Cultivo:

Planeta regente: Regente – Sol.

Indicações energéticas ou mágicas: se utilizada em volta do pescoço preveni febres. Usar a erva na roupa irá protegê-lo na guerra e nas batalhas e, inclusive contra a indecisão e a falta de vontade. Utilizada em exorcismo. Tê-la em casa afasta feitiço. Diz-se que se você colher a erva a noite e colocá-la na guarda da cama irá sonhar com seu futuro marido.

Habitat: planta nativa da Europa e da Ásia, freqüentemente encontrada ao redor de pinheiros.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: é um pequeno arbusto com flores amarelas ou esverdeadas nativa da Europa, suas flores possuem pequenos pontos translúcidos nas suas pétalas que são mais bem observadas contra a luz e podem atingir até cerca de 1 metro de altura. Nas pastagens, o Hipérico é considerado uma erva daninha nociva que pode tornar a área improdutiva, inclusive por envenenamento do gado.

Toxicidade: erva usualmente bem tolerada nas dosagens terapêuticas, porém deve ser ministrada unicamente sob a supervisão de profissional gabaritado.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - Fitoterapeuta e Professor, criador do ERVANARIUM: http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira. LUCIANA OLIVEIRA - Bióloga formada pela UFRGS, Artista Floral e Fitoterapeuta formada pelo ERVANARIUM: http://www.ervanarium.com.br/profissional/11/luciana-oliveira.

Observações: o uso de preparados a base de hipérico devem ser interrompidos pelo menos 5 dias antes de cirurgias eletivas.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://anamaya.blogs.sapo.pt/275.html • http://essenciasvibracionaisofia.blogspot.com/2009/07/floral-de-erva-de-s-joao-hypericum.html • http://www.grupos.com.br/blog/terapiafloraldeminas/month/06-2007.html • As plantas e os planetas - Ana Bandeira de Carvalho - Ed. Nova Era • Vademecum de Fitoterapia - Pedro del Rio Pérez • Indian Medicinal Plants - C.P Khare - Springer • The Big Herbal Encyclopedia - Anônimo - PDF • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas - Dr. Alberto Seabra - Associação Brasileira de Homeopatia • Hipérico - Anônimo - PDF • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - EPUB • Enciclopédia de Medicina Natural - Marcílio Franco da Costa Pereira - Madras • 100 Plantas para viver até os 100 anos - Anônimo - PDF •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium