* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Guaçatonga

Guaçatonga
Nome Popular: Guaçatonga

Outros nomes: apiá-acanoçu, bugru-branco, baga-de-pomba, bugre-branco, café-bravo, café-de-frade, café-do-brejo, café-do-diabo, cafezeiro-bravo, cafezeiro-do-mato, cafezinho-do-mato, caimbim, cambroé, caroba, carvalhinho, chá-de-bugre, chá-de-frade, chá-de-são-gonçalinho, chalé-de-frade, erva-da-pontada, erva-de-pontada, erva-de-bugre, erva-de-guaçatunga-falsa, erva-de-lagarto, erva-de-teiú, estralador, fruta-de-saíra, gaibim, gaimbim, guaçatunga, guaçatunga-branca, guaçatunga-falsa, guaçatunga-preta, guaçutonga, guaçutunga, guassatonga, língua-de-lagarto, língua-de-tiú, marmelada-vermellha, marmelinho-do-campo, paratudo, pau-de-bugre, pau-de-lagarto, pau-de-lagarto, petumba, pioia, pióia, pitumba-de-folha-miúda, pombeiro, quacitunga, vaçatonga, saritã, uassatonga, vacatunga, varre-forno, vassatunga, vassitonga.

Nome Científico: Casearia sylvestris Sw.

Família: Salicaceae.

Nomes Botânicos: Anavinga samyda Gaertn., Casearia affinis Gardner in Hooker, Casearia attenuata Rusby, Casearia benthamiana Miq., Casearia caudata Uittien, Casearia chlorophoroidea Rusby, Casearia ekmanii Sleumer, Casearia formosa Urb., Casearia herbert-smithii Rusby, Casearia lindeniana Urb., Casearia oblongifolia Rusby, Casearia onacaensis Rusby, Casearia ovoidea Sleumer, Casearia parviflora Gmelin, Casearia parviflora var. microphylla Schltdl., Casearia parviflora Willd., Casearia parvifolia Willd., Casearia punctata Spreng., Casearia samyda (Gaertn.) de Candolle, Casearia schulziana O.C. Schmidt, Casearia serrulata Sw., Casearia subsessiliflora Lundell, Casearia sylvestris var. angustifolia Uittien, Casearia sylvestris var. benthamiana (Miquel) Uittien, Casearia sylvestris var. chlorophoroidea (Rusby) Sleumer in Pulle, Casearia sylvestris var. eichleri Briq., Casearia sylvestris var. martinicensis Macbride ex L. Williams, Casearia sylvestris var. myricoides Griseb., Casearia sylvestris var. paraensis Uittien, Casearia sylvestris var. platyphylla de Candolle, Casearia sylvestris var. tomentella Rusby, Casearia sylvestris var. wydleri Briq., Guidonia sylvestris (Sw.) Maza, Samyda parviflora (Willd.) Poir., Samyda parviflora L., Samyda sylvestris (Sw.) Poir.

Nome Farmacêutico: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Partes Usadas: folhas, casca e raiz.

Sabor: doce, amargo e refrescante.

Constituintes Químicos: antocianosídeos, casearina A-F, flavonas, diterpenos, óleos essenciais, resinas, saponinas, taninos. FOLHAS: diterpenos (casearia clerodeno I a VI e casearina A a R), óleo essencial (2,5% com alto teor de terpenos e ácido capróico, saponinas, alcalóides, flavonóides, tanino, resina, antocianosídeo, b e D-elemeno, a-copaeno, b-cariofileno, a-humuleno, germacreno-D, biciclo-germacreno, D e d-cadineno e espatulenol).

Propriedades Medicinais: afrodisíaca; antiartrítica; antidiarréica; anti-espasmódica; anti-hemorrágica; anti-herpética; antimicrobiana; antiobésica; antiofídica (infusão das folhas e seiva da planta); antipirética; anti-reumática; anti-séptica; anti-sifilítica; antiulcerogênica; calmante; cardiotônica; cicatrizante; depurativa; diaforética; diurética; eupéptica; fungicida; hemostática; imunoestimulante; tônica; vulnerária; laxativa; antiedematosa; resolutiva; anti-helmíntica; anticancerígena; desintoxicante; vermífuga (óleo essencial); anestésica tópica; diaforética; antiviral.

Indicações (Uso Interno): anestesiante em lesões de pele e mucosas; estimulante da circulação; combate Doença de Chagas; afecções gástricas; gastrites; úlceras pépticas; gastralgia; halitose; afecções da pele; herpes labial e genital; aftas; condilomas; infecções urinárias; cistites; irritações da bexiga e edemas; artralgias; febres perniciosas e inflamatórias; forte ação contra a bactéria Helicobacter pilori; reduz a pressão alta; sífilis; colesterol; alergias; dores no peito e no corpo; paralisia; inchaço das pernas; afecções do fígado, bexiga e rins; hidropsia; Aids; prurido; diarréia; apresenta ainda atividade antibacteriana contra Bacillus subtilis.

Indicações (Uso Externo): para lesões na boca; cortes e sangramentos; gengivites; lesões necróticas com úlceras varicosas; cancro sifilítico; picadas de insetos; coceiras; úlceras dérmicas; eczemas; sarna.

Indicações Pediátricas: em crianças é utilizada na artrite reumatóide juvenil, em febre reumática e dores nas cartilagens de conjugação e epifisiólise, em herpes, halitose e na cicatrização de feridas.

Utilizações na MTC: para vazio do Yin do Estômago e do Fígado, para umidade-calor e calor tóxico no Estômago. Em invasão de vento-calor externo. Expulsa invasão de vento-frio.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 1 – Ervas para induzir transpiração ● Categoria 2 – Ervas para calor excessivo no corpo ● Categoria 9 – Ervas que promovem a digestão ● Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores.

Elemento predominante na MTC: Terra.

Atuação nos Canais: E, F.

Ayurveda (Ação nos doshas): equilibra Pitta, Kapha e Vata. Para condições de Pitta Nirama.

Rasa: amargo.

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: o óleo essencial é vermicida.

Floral:FLORAIS DO SUL – Erva de Bugre - age nos pensamentos repetitivos e/ou comportamentos obsessivo-compulsivos. No aspecto caracteriológico age nos indivíduos que se identificaram ao longo da vida com uma maneira cristalizada de se comportar e reagir frente à vida, não conseguindo flexibilizar sua conduta na diversidade de situações que se apresentam durante sua existência. Ex.: o salvador, a vítima, o dono da verdade, o fracassado, o bode expiatório, etc.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: evitar na gravidez, pois é abortiva. Evitar na lactação. Se tomada por tempo prolongado pode diminuir a assimilação da vitamina K no organismo e diarréia.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: os criadores de gado utilizam as folhas desta planta para a expulsão da placenta pós-parto nos animais. Utiliza-se também para dar banhos em cães com sarna.

Cultivo:

Planeta regente: para distúrbios relacionados com o trânsito de Mercúrio em Câncer; Marte em Câncer; Júpiter em Câncer; Urano em Câncer.

Indicações energéticas ou mágicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Habitat: nativa, não endêmica do Brasil. Espécie secundária inicial, heliófita, seletiva higrófita e esciófita, ocorre na Amazônia, Caatinga, Cerrado, Pampa, Pantanal e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Formações Campestres. Difundida pelo México, América Central e América do Sul.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: árvore ou arvoreta 3–9(–18) m alt.; tronco com casca lisa a levemente fissurada a fissurada, acinzentada a marrom, camada corticosa fina a grossa; ramos inermes, delgados e patentes, puberulentos a glabrescentes, acinzentados, mais ou menos lenticelados; estípulas 1 mm compr., subovadas, puberulentas, caducas. Folhas persistentes; pecíolo 3–5 mm compr., subcilíndrico, levemente puberulento, delgado; lâmina 6–11 × 2–3,5 cm, cartáceas, concolor a levemente discolor, verde, lanceoladoovada, oblongo-lanceolada a lanceolada, glabra, ocasionalmente curto pubescente na face abaxial, principalmente sobre as nervuras primária e secundárias; ápice acuminado a falcado; base freqüentemente assimétrica, cuneada; bordos mucronado-serreados a serreados; pontos e traços translúcidos densos por toda lâmina, 5–6 pares de nervuras secundárias ascendentes, reticulado das veias e vênulas denso, mais proeminentes abaxialmente. Inflorescências fasciculadas, multifloras, sésseis, variáveis no indumento; brácteas 0,5 mm compr., diminutas, ovadas, pubescentes, pedicelos 2–4 mm compr., cilíndricos, delgados, articulados próximo ao meio ou abaixo, pubescentes a glabrescentes. Botões obovados a globosos, esparsamente tomentosos, sépalas 1,5 × 1–1,5 mm, unidas na base, largamente ovadas, esverdeadas a alvacentas, glabras a tomentosas ou ciliadas na margem; estames 10, filetes 1–1,5 mm compr., livres, pilosos na base e subglabro no ápice, anteras globosas, glândula apical crassa, glabra; lobos do disco 1 mm compr., clavados, alvacentos, densamente pilosos, unidos na base e intercalados com os filetes; ovário ovóide, glabro; estilete inteiro, delgado, subglabro; estigma trilobado, globoso. Fruto 4 × 4 mm, globoso, anguloso, negro, glabro, sementes 5, 2,5 × 1,5 mm, oblongas, testa escrobiculada, alaranjada, arilo franjado, carnoso, envolvendo parcialmente a semente, alaranjada a vermelha, endosperma crasso; embrião ca. 1,5 mm compr., reto, alvo; cotilédones crassos, alvos, arredondados. (MARQUETE, 2007, p. 25). Floresce em janeiro e de março a novembro, frutificando nestes períodos.

Toxicidade: os extratos aquosos das folhas demonstram atividade sobre a musculatura lisa uterina de ratas podem explicar a sua ação abortiva. A DL50 em ratos foi estimada em 1792g do extrato seco/kg (Amarante e Silva, apud 179).

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - consultor em fitoterapia, professor e criador do ERVANARIUM • http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira

Observações: lagartos picados por cobras curam-se comendo folhas desta planta. É uma das 71 plantas medicinais selecionadas pelo Ministério da Saúde como sendo de interesse ao SUS.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://www.floraisdosul.com.br/site/essencias_ver.php?cod_essencia=30 • http://sites.google.com/site/florasbs/salicaceae/guacatonga • CD Rom - Ervas Medicinais - Volume 1 - Anônimo • Fórmulas Mágicas - Dr. Alex Botsaris - Ed. Nova Era • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - EPUB • Yoga of Herbs - Dr. David Frawlwy and Dr. Vasant Lad - Lótus Press • A vida cura a vida - Pe. Paulo Wendling - Paulinas • Guia Prático para Auto-cura - Tonusterapia. A cura pelas plantas - Munir Sabá - Editora Traço •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium