* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Gergelim

Gergelim
Nome Popular: Gergelim

Outros nomes: gergelim, gergelim-preto, gingelim, girgelim, serxelim, sésamo, sésamo do Oriente, gerzelim, jerxelim, zirzelim (português), dee la (tailandês), gingli (hindu), koba (japonês), sasim (árabe), seesami (finlandês), sesam (alemão, sueco), sesame (inglês), sésame (francês), sesamo (italiano), sésamo (espanhol), sezamo (esperanto), sesamzaad (holandês), sousámi (grego), sousma (armeno), susam (turco), szézámfû (húngaro), wijen (indonésio), tila (sânscrito), til (bengali, punjabi), vung (vietnamita), zi ma zi (chinês).

Nome Científico: Sesamum indicum L.

Família: Pedaliaceae

Nomes Botânicos: Sesamum africanum Tod., Sesamum occidentalis Heer & Regel, Sesamum oleiferum Sm., Sesamum orientale L.

Nome Farmacêutico: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Partes Usadas: sementes, folhas e óleo.

Sabor: doce e neutro.

Constituintes Químicos: ácidos graxos, ácidos linoléicos, ácidos oléicos, carboidratos, colina, estearina, fitina, fitosterina, fitosteróis, glicerol, globulina, lecitina, lignanas, miristina, oleína, palmitina, proteínas, resina, sais minerais, sesamol, sesamolina, sesamina, sesamindicina, vitamina E, B1, BZ e C.

Propriedades Medicinais: tônico; antianêmico; laxativo (sementes); anti-reumático; cosmético; analgésico; adstringente; tônico; antianêmico; laxativo (sementes); anti-reumático; cosmético; analgésico; adstringente; antidiabético; bactericida; diurético (sementes); estimulante; galactagogo; hipoglicêmico; relaxante; resolutivo; repelente; afrodisíaco; calmante; antioxidante; demulcente e emoliente (sementes); hidratante; antiartrítico.

Indicações (Uso Interno): artralgias; otites; envelhecimento precoce; para cólica abdominal; prisão de ventre; ativa o funcionamento dos rins e estômago; (O.E); taquicardia; amenorréia e dismenorréia (em pó); tem efeito imunomodulador; leucopenia; pancitopenia; hipotensão arterial; polimiosite; catarata; todos os tipos de esclerose; insuficiência renal; anemia; emagrecimento; pele seca; regulador das fezes; tônico do sangue e do organismo como um todo; hidropsia; cólica intestinal; palpitações; insônia; ansiedade precordial; excitabilidade nervosa; histeria; úlcera; epilepsia; nevralgia facial; alienação mental; isquialgia; afecções gerais dos nervos.

Indicações (Uso Externo): o óleo essencial é utilizado para entorses; ulcerações; reumatismo; queimaduras; escaldaduras; para peles secas e relaxamento da musculatura dolorida por atividade física; limpeza de pele e rosto; chagas; nevralgia facial; manchas na pele; empingem.

Indicações Pediátricas: em dores da artrite reumatóide juvenil; febre reumática; nas cartilagens de conjugação; epifisiólise.

Utilizações na MTC: : nutre a essência; tonifica o Yin do Rim e do Fígado; nutre o sangue e elimina vento; umedece e lubrifica os intestinos; nutre os tendões.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 6 – Ervas para lubrificar sintomas secos • Categoria 16 – Ervas para corrigir deficiências.

Elemento predominante na MTC: Terra.

Atuação nos Canais: R e F.

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz Vata e aumenta Pitta e Kapha. Promove as ojas. Atua em todos os tecidos, mas especialmente nos ossos. Atua nos sistema excretor, reprodutivo, urinário e respiratório. As sementes são rejuvenescedoras e tônicas do dosha Vayu, ossos e dentes, para disenteria, constipação (decocção). Decocção junto com sementes de linhaça é indicada para catarro. Utiliza em pasta misturada a manteiga para tratar hemorróidas sanguinolentas. Utiliza-se o pó para tratar amenorréia e dismenorréia. Cataplasmas são aplicados externamente para úlceras e queimaduras. Aplicar o óleo no corpo e cabeça é útil para o dosha Vayu, têm efeito calmante e propriedades nutritivas e antioxidantes, para pele seca, úlceras, contusões com formação de líquido. Utilizada em parte iguais com suco de limão para queimaduras nas pálpebras e problemas oculares. Ingere-se o óleo para tratar gonorréia. Decocção das folhas e da raiz escurece o cabelo e promove seu crescimento. É uma planta sattwica (sagrada) boa para os yogues que devem ingerir cerca de 30g por dia. Dose elevadas agravam Pitta. Nome em sânscrito: Tila.

Rasa: doce.

Virya: quente.

Vipaka: doce.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: tem efeito de protetor solar. O sesamol e a sesamolina são antioxidantes naturais (somente são encontradas no óleo virgem prensado a frio). É utilizado como óleo carreador.

Floral:FLORAIS DA AMAZÔNIA – desbloqueadora - Traz a energia do sol nascente, desperta a pessoa para a vida, elimina os bloqueios e a estagnação. Age com muita rapidez. Comunica, desobstrui, relaciona. É boa para depressão, desesperança, processos degenerativos, mentais e físicos. Nutre o corpo etérico, vitalizando-o e regenerando áreas atingidas por emoções negativas. Restabelece a pureza interior e o prazer de estar vivo.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: em casos de diarréia. Doses muito elevadas podem causar aborto, aumento de peso.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: boa fonte de alimentação para as vacas.

Cultivo:

Planeta regente: para distúrbios relacionados ao trânsito de Saturno em Áries, Saturno em Leão, Urano em Aquário, Plutão em Libra.

Indicações energéticas ou mágicas: planta associada ao orixá Oxalá menino. Associada também com a energia do 5° chakra e ao corpo etérico.

Habitat: arbusto de origem asiática, com distribuição mundial. No Brasil é cultivado no cerrado nos estados do Nordeste para fins alimentares.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: planta arbustiva que nasce com facilidade. Cresce e abrange o seu espaço com graciosidade até brotarem as flores na ponta dos galhos, onde nascerão as cápsulas das sementes. A flor é um pequeno sininho branco e luminoso.

Toxicidade: sem toxicidade nas doses recomendadas.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - consultor em fitoterapia, professor e criador do ERVANARIUM • http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira

Observações: existem três variedades da planta: preta, branca e vermelha (marron). A branca produz mais óleo, mas a preta tem mais propriedades medicinais. O cultivo de gergelim e batata-doce próximo às plantas medicinais produz substâncias tóxicas para as formigas e saúvas. Semente é rica em fósforo.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://www.floraisdaamazonia.com.br/pt/?page_id=843 • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - EPUB • Aromaterapia - a cura pelos óleos essenciais - Marcel Lavabre - Ed. Nova Era • Fórmulas Mágicas - Dr. Alex Botsaris - Ed. Nova Era • Manual de Fitoterápia Chinesa e Plantas Brasileiras - Mary Lannes Salles Leite - Icone Editora • The Ayurveda Encyclopedia - Swami Sadashiva Tirtha • Yoga of Herbs - Dr. David Frawlwy and Dr. Vasant Lad - Lótus Press • Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras - Alex Botsaris - Editora Ícone • As plantas e os planetas - Ana Bandeira de Carvalho - Ed. Nova Era • Fitoterapia Amazônica- Fernando Castro da Cruz - Ed. Palpite •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium