* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Cavalinha

Cavalinha
Nome Popular: Cavalinha

Outros nomes: cola-de-cavalo, erva-canudo, lixa-vegetal, milho-de-cobra, rabo-de-cavalo, rabo-de-rato, cavalinha-do-campo, pinheirinha, equiseto-dos-campos, erva-carnuda, rabo-de-asno, rabo-de-touro.

Nome Científico: Equisetum arvense L.

Família:

Nomes Botânicos: Equisetum boreale Bong., Equisetum calderi B. Boivin, Equisetum saxicola Suksd.

Nome Farmacêutico: Herba Equiseti

Partes Usadas: raiz e partes aéreas.

Sabor: amargo, neutro, adstringente, dispersante e fria.

Constituintes Químicos: silício, taninos, saponinas (equisetonina), flavonóides (isoquercetina, equisetrina e canferol), alcalóides (nicotina, palustrina e outros), vitamina C e minerais (Ca, Mg, Na, F, Mn, S, P, Cl, K, etc.).

Propriedades Medicinais: diurético, hemostático; remineralizante; depurativo; sudorífico; antiinflamatório; analgésico; cicatrizante externo; antibiótico; sebostático; hipoglicemiante; hemostático; antiblenorrágico; adstringente; anódino; carminativo; diaforético; antibacteriano; aquarético; refrescante; emenagogo; hemolítico; imunoestimulante; leucocitogênico; nefrotônico; tônico; vulnerário.

Indicações (Uso Interno): atua no trato urinário e sistema reprodutor masculino; incontinência em crianças; remove resíduos do corpo; artrites, artroses; diabetes; gripes; faringites; hipotensão; hemorragia uterina; obesidade; edemas; úlceras estomacais, ácido úrico; blenorragia; bócio; gota; afecções dos brônquios e dos pulmões; herpes; tônico nervoso; estresse; tuberculose pulmonar e renal; unhas quebradiças; úlcera; olhos irritados; exaustão; flacidez da pele e dos músculos; desintoxicação do sangue, cálculos biliares e renais; tísica; osteoporose; inflamação do fígado e dos intestinos; problemas de memória; hemorragia nasal e hemorroidal; afecções do ouvido e da garganta; hidropsia; depurativa do sangue e das vias urinárias; enurese noturna; prostatismo; anemia; vômito sanguinolento; feridas necrosadas; úlceras cancerosas; osteomielite; elimina cãibras; hidromiocardia; prurido e erupções cutâneas, orquite, esporão do calcanhar, fístulas, hiperidrose dos pés; arteriosclerose; estomatite ulcerosa; tumores malignos; pólipos do baixo-ventre e do esfíncter; bursite; cólica estomacal, congestão do fígado; dores intervertebrais e vertebrais; acessos de raiva e manias; distúrbios geniturinários e respiratórios; suplemento remineralizante; beneficia a bexiga, o estômago, o baço, o pâncreas, a tireóide, os rins, o fígado e o apêndice; aceleração da recuperação de ossos fraturados; auxilia a coagulação do sangue; síndrome de olhos vermelhos; patologias dos órgãos dos sentidos; metrorragia; afecções pulmonares; febre puerperal; inflamação dos dutos lacrimais; flatulência; hemoptises; epistaxe; hemorragias em geral; hematúria; gripe; disenteria; afecções da próstata; pterígio; oligúria; urolitíase; hiperuricemia; osteoporose; dores nos ossos; incontinência urinária noturna; alivia fadiga; benéfica para a pele; alopecia; câncer de ossos, abdômen, mama, intestino, rim, cólon, lábios, oral, fígado, estômago, língua; partos; colecistite; cistite; dentição; disúria; dispepsia e acidez estomacal (cinzas da erva); gastrite; gonorréia; doenças do sangue; dores de cabeça; imunodepressão; micobacteria; nefrose; osteoartrose; intoxicação por hera venenosa; pólipos em geral; mau desenvolvimento dos ossos; cabelo fraco; prostatite; rupturas; infecções por estafilococcus e estreptococcus; estrangúria; retenção de líquidos; reparação de tecidos; unhas quebradiças; raquitismo; anemia; descalcificação dentária; inflamação uterina; inchaço pré-menstrual; adenoma da próstata; corrige e mantém o equilíbrio do cálcio no organismo; albuminúria; aerofagia.

Indicações (Uso Externo): eczemas e acnes; caspa; leucorréia branca; lúpus e sicose; inflamação ou supuração da pélvis renal (banho de assento); pólipos do palato e da garganta (gargarejos e bochechos); olhos irritados; conjuntivite (em compressas); afecções do ouvido e da garganta; olheiras; tônico capilar; espinhas; evita estrias; pé-de-atleta; aftas; inflamação dos dutos lacrimais; hiperidrose plantar; unhas quebradiças; alopecia; queimaduras; dermatose; frieiras; machucados; torções; contusões; reparação de tecidos; pele oleosa; poros dilatados.

Indicações Pediátricas: não é recomendado o uso em crianças.

Utilizações na MTC: nome chinês: Mo Ja Chao e Mu Zei. Para vazio do yin do Fígado; vazio do Qi do BP; vazio do Yin do Rim; mucosidades e umidade-calor da Bexiga, do Intestino Delgado e do Intestino Grosso; mucosidades e umidade-frio do Jiao Inferior; estagnação do Qi do Rim; vazio do Qi do Rim. Elimina fogo no corpo, no fígado e na vesícula. Elimina toxinas do sangue. Dispersa vento-calor e vento-calor do canal do Fígado que se manifesta como olhos vermelhos, lacrimejação excessiva, visão borrada e opacidade da córnea. Na MTC é utilizada em conjunto com Chantui (pele de cigarra), Gujingcao (Eurocalion), Xiakucao (espigas de feno), Baijili (fruto do cardo). Para parar fluxo de sangue hemorroidal é utilizada em conjunto com Huangqi (raiz de escutelária) e Diyu (raiz de pimpinela mayor).

Classificação da Erva na MTC: Categoria 5 – Ervas para reduzir umidade do corpo • Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores.

Elemento predominante na MTC: Madeira

Atuação nos Canais: F, VB, R, B, IG e P.

Ayurveda (Ação nos doshas): nome ayurvédico: Ashwa-puchha. Reduz Pitta e Kapha e aumenta Vata. Deve ser consumida com cuidado, pois aumenta Vata gerando constipação e pele seca. Atua nos tecidos (dhatus) sangüíneo, plasmático, adiposo e ósseo. Tem ação sobre o sistema respiratório e urinário. Excelente erva para acalmar o Pitta agravado. Têm propriedades similares as sementes de Bardana. Clareia Pitta e as emoções ardentes dos nervos e da mente.

Rasa: doce e amargo.

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: corredores da tribo Crow (E.U.A) colocam os brotos novos em seus mocassins para prevenir cãibras nas pernas. Os antigos indígenas Crow utilizavam a cavalinha para ajudar as pessoas a respirar melhor e estabilizar a pressão sangüínea. Demais tribos indígenas da América do Norte utilizavam a planta para parar hemorragias e acelerar a recuperação de contusões e fraturas.

Aromaterapia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Floral:não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Homeopatia: utilizada em homeopatia para tratamento de dor profunda na região renal, principalmente à direita; violenta necessidade de urinar; grande sensibilidade na região vesical; sensação de peso não melhorada pela micção; necessidade imperiosa de urinar com micções freqüentes e abundantes; incontinência urinária diurna e noturna em crianças; urina na cama; cistite; cólicas nefríticas e tuberculose vesical nas doses T.M a 3ª.

Contra-indicações: pode causar náuseas e dermatite de contato em pessoas sensíveis; em doses elevadas é tóxica; não usar na gravidez; evitar em úlcera duodenal e gástrica; no refluxo esofágico, colite ulcerosa; colite espasmódica, diverticulite e diverticulose. Não deve ser usada em casos de irritação urinária. Evitar consumo após as 17 horas. Uso excessivo pode causar irritação nos rins e intestinos. Também é contra-indicada em nefrose e cardiopatias. É prudente evitar uso na gravidez por longos períodos. Evitar utilizar em pessoas que apresentem deficiência do Qi. Pode dificultar a absorção da Vitamina B1.

Interações medicamentosas: deve-se evitar uso em conjunto com Aesculus hippocastanum (Castanha-da Índia).

Uso Veterinário: planta tóxica para os cavalos.

Cultivo: Para canteiros, utilizar locais com umidade acentuada ou irrigação frequente. Preparar os canteiros com a limpeza de inços e objetos estranhos, como caliça e pedras.
Colocar turfa ou composto orgânico e adubo animal curtido, se de gado cerca de 1 kg/m2 se de aves a metade desta quantidade. Revolver e nivelar a terra. As mudas de cavalinha são comercializadas em sacos ou potes de cultivo.
Retirar a muda da embalagem. Abrir uma cova do tamanho do torrão, acomodar a planta e aconchegar a terra ao redor, apertando de leve para firmar. Se o solo não estiver úmido regar bem. Para vasos, preparar o vaso impermeabilizando o fundo e suas paredes com substância asfáltica e deixar secar alguns dias.
Isto é necessário para proteger a parede do vaso devido à intensa umidade. Colocar no fundo brita ou geomanta para impedir que o furo de drenagem seja obstruído.
Por cima colocar areia úmida e parte do substrato, que poderá ser semelhante ao que recomendo para os canteiros. Acomodar o torrão e preencher com o mesmo material, apertando a muda de leve para firmar. Regar bem e realizar regas frequentes.


Planeta regente: Regente- Júpiter. Planta associada ao signo de Sagitário e benéficas a pessoas com Sol, Lua ou Ascendente neste signo (A astrologia da Mãe-Terra). Para distúrbios provenientes do trânsito de Vênus em Áries, Saturno em Leão. Outra fonte (Ervas do Sítio, Wicca, Practical Handbook of Plant Alchemy) dá como regente desta planta o planeta Saturno e associa a planta com os signos de Libra e Capricórnio.

Indicações energéticas ou mágicas: apitos feitos das hastes da cavalinha eram utilizados para chamar os espíritos.

Habitat: a planta gosta de solos arenosos e úmidos. Planta encontrada na Europa, América do Norte e na Ásia. Atualmente já está adaptada ao Brasil.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: planta herbácea, rizomatosa, perene, entouceirada. Caule fístuloso, ereto, sulcado finamente, áspero, verde-escuro, rígido, bainha cilíndrica e inflorescência em espiga apiculada. Alta capacidade de rebrote a partir do rizoma castanho-escuro, que se estende por vários metros no solo. Cresce cerca de 40 a 60 cm, mas sob meia-sombra o pseudo-caule alonga-se até 2m e se torna fino e suculento. As folhas são escamosas e se formam na bainha. O caule é fístuloso, ereto, grossos, carenado-sulcado, escabroso, verde-escuro, rígido. Produz dois tipos de hastes: as que formam esporângios, que são simples, sem ramo algum, com numerosas folhas nos nós, e as que começam a brotar quando os esporos estão maduros. Estas são ramificadas e não produzem esporângios.

Toxicidade: não se tem informação de efeitos adversos se utilizada nas dosagens recomendadas. O uso em excesso pode resultar em deficiência de vitamina B1 em razão das tiaminas. As inflorescências são tóxicas. Em crianças a toxicidade é similar ao envenenamento por nicotina que tiveram mascado o caule da erva.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA - consultor em fitoterapia, professor e criador do ERVANARIUM • http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira

Observações: devido ao alto teor de sílica que tem efeitos abrasivos e irritantes não é indicado consumo na forma de chá Era utilizada na Idade Média para clarear potes e vasilhas devido a sua ação abrasiva. Os brotos novos que emergem do rizoma podem ser consumidos como aspargos. Devido ao alto teor de sílica das células, é usado como abrasivo de madeira, vasos de cobre e metais em geral. Planta utilizada com fins cosméticos por suas propriedades nutritivas. Usada em máscaras faciais, tonificantes, loções e banhos herbais. Esta erva contém de 10 a 20% de minerais dos quais 66% são ácidos silícicos ou silicatos. Também é um popular corante da cor verde. Rica em ácido acetilsalicílico.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://www.jardineiro.net/br/banco/equisetum_giganteum.php • http://praticascomplementaresasaude.blogspot.com/2011/01/virtude-da-erva-cavalinha-equisetum.html • Curso de Fitoterapia - Da planta a aplicação terapêutica - Delta Educação Continuada • A cura pela natureza - enciclopédia familiar dos remédios naturais - Jean Aikenbaum e Piotr Daszkiewicz - Editora Estampa • A taste of heritage - crow indian recipes and herbal medicine - Alma Hogan Snell - Lincoln and London • La vuelta a los vegetales - Carlos Hugo Burgstaller Chiriani - Hachette • Cultivo de plantas medicinais - conhecendo corretamente as plantas medicinais - Furlan • Plantas Medicinais - Manipulação artesanal, uso e costume popular - Angelo L. Robertina - PDF • As plantas e os planetas - Ana Bandeira de Carvalho - Ed. Nova Era • The Big Herbal Encyclopedia. pdf • CD Rom - Ervas Medicinais - Volume 1 • Chinese and related North American Herbs - phytopharmacology and therapeutics values - Thomas S. C. Li - CRC Press • Coleção de plantas medicinais aromáticas e condimentares - Mery Elizabeth Oliveira Couto - Embrapa • Dandelion Medicine - Brigitte Mars - Storey Books • Vademecum de Fitoterapia - Pedro del Rio Pérez • Enciclopedia de plantas medicinales - PDF • A astrologia da Mãe-Terra - Márcia Starck - Pensamento • Ervas do Sítio - Rosy L. Bornhausen - Bel Comunicação • A cura pelos remédios caseiros - Guia de ervas e medicina natural - Raunei Iamoni - Ediouro • Projeto Sementinha - Nossos chás - 2000 - Organização e pesquisa - Vânia Coutinho • Apostila de Fitoterapia Chinesa - Prof. Antonio de Bortolli - Delta Educação • Handbook of Medicinal Herbs - James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke - CRC Press • Herbal Tonic Therapies - Daniel B. Mowrey Ph.D -NTC Contemporary • Herbolária - Wicca Feitiçaria Moderna - PDF • Herbologia Chinesa - PDF • Herbs for Healthy Skin, Hair and Nails - Brigitte Mars - Keats Publishing Inc • Herbs for the Heart - C.J Puotinen - NTC Comtemporary • Indian Medicinal Plants - C.P Khare - Springer • Los Remedios de la Abuela - Jean Michel Pedrazzani • Manual Ilustrado de Plantas Medicinais - Moacyr Pezati Rigueiro - Paulus • Medicinal Plants in Folk Tradition - an ethobothany of Britain and Ireland- David E. Allen and Gabrielle Hatfield - Timber Press • Plantas Brasileiras na MTC - PDF • Plantas Medicinais- Coletâneas de Saberes - Schirlei da Silva Alves Jorge • Plantas populares - Anastácia Benvinda - Biblioteca Virtual • As plantas que curam - enciclopédia de plantas medicinais - Volume 1 - Dr. Jorge D. Pamplona Roger • Propiedades y funciones de las plantas en la medicina china. pdf • Segredos e virtudes das plantas medicinais - Seleções do Readers Digest • Wicca - A Feitiçaria Moderna - o livro das ervas, magias e sonhos - Gerina Dunwich • Yoga of Herbs - Dr. David Frawlwy and Dr. Vasant Lad - Lótus Press • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas - Dr. Alberto Seabra - Associação Brasileira de Homeopatia • ITF - Índice Terapêutico Fitoterápico - EPUB • Ayurveda - A ciência da longa vida - Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes - Madras • A vida cura a vida - Pe. Paulo Wendling - Paulinas •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium