* As informações deste banco de dados são apenas para pesquisa. Não recomendamos automedicação. Procure sempre um profissional habilitado. *


Erva-Mate

Erva-Mate
Nome Popular: Erva-Mate

Outros nomes: Erva-chimarrão, Mate, Chá-mate, Chá-do-Paraguai, Chá-dos-jesuítas, Chá-das-missões, Chá-mate-do-Paraguai, Chá-argentino, Chá-do-Brasil, Congonha, Congonha-das-missões, Congonheira, Erva-mate-legítima, Mate-verdadeiro, Caúna, Erveira, Maté (inglês), Jesuit´s tea (inglês), Ka´a (Paraguai), Kali Chaye, Mateestrauch (alemão), Saint Bartholomew´s tea (inglês), South american holly (inglês), Thé du Paraguay (francês), Yerba Maté (espanhol), Hervea, Erva-de-são bartolomeu, Orelha-de-burro, Chá-do-paraná, Congonha-de-mato-grosso, Congonha-genuína, Congonha-mansa, Congonha-verdadeira, Erva-senhorita, caá, caá-caati, caá-emi, caá-ete, caá-meriduvi e caá-ti (língua indígena).

Nome Científico: Ilex paraguariensis A. St.-Hil.

Família: Aquifoliaceae.

Nomes Botânicos: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Nome Farmacêutico: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Partes Usadas: folhas e ramos.

Sabor: amargo.

Constituintes Químicos: cafeína, teofilina, teobromina, ácidos fólicos, taninos, minerais e vitaminas A, B1, B2, C e E.

Propriedades Medicinais: digestivo, diurético, estimulante, excitante, laxante, sudorífero, tonificante, hipoglicemiante, antioxidante, afrodisíaco.

Indicações (Uso Interno): gripe, resfriado, febre, inflamação, neurastenia, depressão nervosa, constipação, ulcera, reumatismo, pâncreas, dores de cabeça, elimina congestão cerebral pelo calor, evita desmaios, anemia, antraz, arritmia, artrose, astenia, asma, cálculos renais, câncer, insuficiência cardíaca, diabete, dispepsia, disúria, edema, fadiga, pressão alta, infecções, isquemia, neuralgia, neurastenia, obesidade, oliguria, dores, Mal de Parkinson, reumatismo, escorbuto, espasmos, retenção de líquidos, colesterol, sacia a fome, melhora a digestão, purifica a pele, beneficia o sistema cardiorrespiratório, repara o DNA, auxilia perda de peso, neutralizador da ação de radicais livres, alivia mau hálito, constipação intestinal, labirintite, prevenção ao Mal de Parkinson.

Indicações (Uso Externo): hemorroidas, feridas.

Indicações Pediátricas: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Utilizações na MTC: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Classificação da Erva na MTC: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Elemento predominante na MTC: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Atuação nos Canais: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Ayurveda (Ação nos doshas): nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Rasa: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Virya: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Vipaka: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde: bebida tônica e estimulante já era conhecido pelos aborígenes da América do Sul. Em túmulos pré-colombianos de Ancon, perto de Lima no Peru, foram encontradas folhas de erva mate ao lado de alimentos e objetos, demonstrando o seu uso pelos incas.

Aromaterapia: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Floral:FLORAIS AURA AZUL- traz unidade e uma concepção mais expansiva do EU. Trata do autoamor e do amor ao outro. Essência antidepressiva por excelência, influencia o sistema neuronal e o fluido energético, trazendo energia vital às células. Move a energia parada trazendo mais vitalidade. Trata o pânico que aprisiona e acovarda a pessoa e ensina a confiar. FLORAIS DO SUL - atua no sistema nervoso, refazendo as sinapses e desintoxicando o mesmo para melhor receber a vibração das flores subsequentes. Ela equilibra o funcionamento entre os dois hemisférios cerebrais. Quando tomada diretamente da essência estoque, age no cansaço físico e fadiga mental. Porém, o grande trabalho da erva-mate é realizar um trabalho arqueológico no indivíduo, colocando-o frente a frente ao seu núcleo primordial de desequilíbrios. Esta ação observa-se quando a pessoa já está tomando há meses a essência. (Segundo Gurudas, o floral erva-mate tem uma grande indicação em todas as doenças mentais e também no Mal de Alzheimer).

Homeopatia: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: o mate não se deve usar de forma continuada, nem sequer como medicamento, pois o seu conteúdo em cafeína cria dependência e tolerância, como acontece com qualquer outra droga que vicie. Pode levar a insônia. Deve ser evitada na gestação. Deve ser evitada por pessoas com ansiedade, pressão alta e problemas cardíacos. Pode causar dores de cabeça e náuseas em algumas pessoas.

Interações medicamentosas: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Cultivo: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Planeta regente: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações energéticas ou mágicas: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Habitat: nativa da América do Sul é muito cultivada na região Sul do Brasil.

Informações clínicas e/ou científicas: estudos relacionam o consumo da erva-mate à taxas mais elevadas de câncer de bexiga, esôfago, pulmão, cabeça e pescoço. Estudos mais aprofundados relacionam que ao tomar a infusão da erva (chimarrão) em altas temperaturas pode aumentar a absorção de substâncias carcinogênicas pelas células. Nesse caso, a responsabilidade não estaria associada a erva em si, mas o modo de consumo. Um estudo realizado por pesquisadores da Unesc (Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina), localizada em Criciúma, mostra que a utilização da erva-mate pode funcionar na prevenção e tratamento do mal de Parkinson. A pesquisa foi coordenada pela doutora Luciane Costa Campos, do PPGCA (Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais) e os primeiros testes foram realizados em camundongos. Chamado - O efeito da administração aguda do extrato de Ilex paraguariensis St. Hilaire (Aqüifoliacea) em modelos animais da doença de Parkinson, o trabalho já foi aceito numa das mais importantes publicações científicas na área de fitoterapia, a revista inglesa Phytotherapy Research.

Descrição botânica: árvore que apresenta um fino caule de cor cinza, folhas ovais e frutos pequenos de coloração verde ou vermelho-arroxeado. O caule é um tronco de cor acinzentada, geralmente com 20 a 25 centímetros de diâmetro, podendo chegar aos 50 centímetros. A altura é variável, dependendo da idade e do tipo de sítio. Podem atingir 15 metros de altura, mas geralmente, quando podadas, não passam de 7 metros.

Toxicidade: nada consta nas fontes de pesquisa consultadas.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA – Fitoterapeuta, Coach de Qualidade de Vida, Escritor, Palestrante e Professor, criador do ERVANARIUM: http://www.ervanarium.com.br/profissional/8/rodrigo-silveira.

Observações: Foi classificada pelo naturalista francês August de Saint Hillaire e, publicada em 1822, nas memórias do Museu de História Natural de Paris.

Fontes de pesquisa: http://www.plantamed.com.br/ • http://www.tuasaude.com/erva-mate/ • http://www.bolsademulher.com/medicina-alternativa/232/propriedades-da-erva-mate • http://altmedicine.about.com/od/herbsupplementguide/a/yerba_mate_weightloss.htm • https://www.danielmazzo.com.br/florais-do-sul/ • http://www.floraisauraluz.com.br/florais/essencias-florais/erva-mate • http://www.alumiar.com/saude/50-naturopatia/532-aervamate.html • http://saudeintegralonline.weebly.com/floral-yerba-mate.html • 100 Plantas para viver até os 100 anos - Anônimo - PDF • Dukes Handbook of Medicinal Plants of Latin America - James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Andrea R. Ottesen - CRC Press •



REDES SOCIAIS

ERVANARIUM
contato@ervanarium.com.br




© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Ervanarium